8 de out de 2010

Enzo

por Mariana Perez

Ah Enzo, como eu gostaria de ter o conhecido...

As delicadezas, os gestos, os pensamentos... só você mesmo, um cachorro com alma humana, pra entender o que se passa dentro desse mundo tão imprevisível e incrédulo dos humanos. Aprendi com você a lealdade, o respeito, a empatia. Você me permitiu entrar nesse universo cheio de mistérios, medos e erros que é o nosso.

Que saudades das suas brincadeiras, das histórias, de todas as vezes que você “participava” das corridas, da forma como as descrevia, e quando assistia aos documentários do National. Todo seu zelo por Zoe, quando brincava com ela no quintal cheio de folhas, e rolavam na grama rindo.

O medo da Zebra de pelúcia, aquela demônia que o amedrontava tanto.

Eu me lembro quando foi apresentado ao Denny, já sabia que a sua vida e a dele não seriam mais as mesmas, e que dali em diante, era seu papel cuidar e honrar aquela família que o amava tanto, que confiava tanto em você.

Você se tornou sim, parte integrante daquela família. Participava dos jantares, das comemorações, das tristezas, das decisões e da vida de Denny. Você foi o melhor amigo, o melhor companheiro que alguém poderia desejar. Pela presença ao lado da mesa da cozinha, o focinho gelado encostado no braço de Denny, toda vez que ele precisava de apoio.

Aprendeu como ninguém a pilotar na chuva, e observar que nem sempre a velocidade é a melhor estratégia.

O seu amor fez com que se abrissem mentes, e se acreditasse em horizontes diferentes, através das mudanças. Mudança essa que faz hoje, parte da minha vida...

Eu o considero pronto para a vida humana.

Um final de semana iluminado ♥

Um comentário:

  1. Por suas palavras, Enzo realmente deve ser um ótimo cachorro. Fiquei louco para le o livro e poder conhecer melhor este quase humano.
    Belo texto.

    ResponderExcluir