31 de mar de 2011

Cidade dos sonhos!

por Marco Nascimento


Foi no filme Esqueceram de Mim 2 que eu te conheci. Na ocasião, o pequeno Kevin, perdido de sua família, conseguiu ajudar a polícia prender os ladrões grudentos, vivendo uma aventura que marcou sua vida. Na verdade, não só a dele, mas a minha também.

Logo me apaixonei pelo Central Park. A beleza de suas árvores dão um charme ao parque, na verdade é a composição de cem parques menores, que traz a calma e a tranquilidade em meio a uma frenética cidade de cimento.

Suas ruas sempre agitadas dão espaço aos elegantes e marcantes táxis amarelos, mas não podemos deixar sua arquitetura de lado, dando destaque é claro ao Empire State Building, que com seus 102 andares foi considerado por 40 anos o edifício mais alto do mundo, até que a torre norte do World Trade Center foi construída em 1972. Torre esta que junto à torre sul formavam as Torres Gêmeas, que infelizmente vieram abaixo nos atentados terrorista de 2001. Suas igrejas, muitas com um estilo gótico, também são uma atração à parte.

Esquecendo o lado triste de sua história, que vontade eu tenho de atravessar a Ponte do Brooklyn, uma das mais antigas pontes suspensas dos Estados Unidos, que fica sobre o rio East, e visitar a Estátua da Liberdade, a qual você ganhou de presente da França. Além de poder passear pela Times Square e conhecer o maior centro financeiro do mundo, a Wall Street, onde fica a bolsa de valores.

Com uma primavera de clima ameno e um verão bem quente, sua beleza no outono é encantadora. Quando chega o inverno sua baixa temperatura pode parar a cidade por causa da neve, mas mesmo assim você continua fascinante.

E é durante o inverno que o Rockefeller Center torna-se ainda mais convidativo. Construído pela família Rockefeller o complexo é composto por 19 edifícios comerciais e possui uma grande pista de patinação no gelo. No natal, sua praça principal é decorada com uma grande árvore de natal, atraindo milhares de visitantes.

É Nova York (New York), Esqueceram de Mim é meu filme de infância, o meu favorito, e você é meu sonho a ser realizado. Aguarde-me, em breve estou chegando.

Abraços!

29 de mar de 2011

Eu nunca te disse!

por Marco Nascimento

Para ler ouvindo:
♪ I Never Told You - Colbie Caillat


Não acredito que você se foi. Não acredito que deixei você ir sem ao menos te dizer a verdade. Sem dizer o que sentia, e lhe entregar todo o amor que sinto. Meu egoísmo agora me fere. Apunhala meu peito, fazendo-o doer.

Eu tinha muito amor para lhe entregar, mas o medo, a falta de coragem me fez esconder isso de você. Agora fico pensando o que seria de nós, tendo somente o eu como resposta.

O eu que sofre por não ter me dado à oportunidade de viver algo que iria me fazer feliz, porque agora só me resta o sofrimento. Sofro por não saber o que você iria pensar. Por nunca mais saber se existiria nós. Por amar, e não poder viver o amor.

A lágrima que escorre em minha face traz a dor da saudade, do querer que não se transformará em poder. Do não saber onde você está, o que está fazendo, ou com quem está. Em não saber se este sentimento é só meu, ou é nosso.

Sinto por não saber se você está feliz. E tenho medo de nunca mais ninguém te amar como eu te amei.

Abraços!

28 de mar de 2011

Mudanças...

por Jucemara Oliver


Revirei minhas idéias, pensamentos e certezas,
Dobrei-as e coloquei na gaveta do esquecimento.
Sabendo que agora nesse momento as cobrirei com um lençol.
Mudanças...
Mudanças de atitude, vontades, postura,
Deixo para trás o destino que me foi imposto
Busco o caminho que me levara ao ar
Respiro mais aliviada, controlada, decidida,
E com a certeza que nessa vida já não irei mais te buscar.
Desviei tudo que tinha para um caminho mais limpo, seco e capaz, e nele a luz da estrada me levara para a saga de mais uma vez te amar.
E assim vou caminhando, pisando, pulando e rindo; encantada com o caminho que Deus me deu e a chance de encontrar.

25 de mar de 2011

Decisões indecisas...

por Mariana Perez


Hoje minha idéia pra texto, confesso que foi uma das mais engraçadas e propositais de alguém que se inspira em praticamente tudo. Em uma conversa com o Marco no MSN (informal obviamente), resolvemos falar sobre coisas sérias, do tipo o que queremos ou o que não queremos, e do nada ele diz... “Eu e você, cheios das decisões”...

Ah, pobres humanos terem a inocência pra acreditar que tenho certeza de tudo o que falo e faço. Não que eu seja mais uma dessas adolescentes que querem abraçar o mundo, e experimentar todos os gostos e sabores, e também não que eu não tenha sido assim... Mas já passou... A Mariana de 15 anos está lá atrás... Feliz por tudo o que viveu, e só rindo (ou chorando) dessa de 24 que ainda não decidiu o quer direito da vida.

Mas quem é que entende o mistério da vida? Quem é que acredita cegamente em todas as suas escolhas, e acha que somente fracos e sem personalidade voltam atrás e mudam de idéia.

A impressão que tenho, é que se viver até os 100 anos, isso não mudará em mim...

E se amanhã o que sonhei não for bem aquilo, tiro um arco-íris da cartola.

E refaço. Colo. Pinto e bordo. Porque a força de dentro é maior. Maior que todo mal que existe no mundo. Maior que todos os ventos contrários. É maior porque é do bem... E nisso, sim, acredito até o fim!


Um final de semana iluminado ♥

24 de mar de 2011

Eu vou!

por Marco Nascimento


Alívio, emoção, ansiedade... felicidade!!!

Hoje estou em um mistura de emoções. Emoção que invade meu peito e me faz sentir vontade de sorrir e chorar ao mesmo tempo. Alívio de ter a garantia que mais uma vez estarei presente em seu show. Emoção de poder ouvir novamente suas músicas ao vivo. Ansiedade que toma conta de mim, que deixa minhas mãos trêmulas e suadas, e me faz desejar que o dia passe logo, fazendo pensar e querer que 14 de maio seja amanhã.

Felicidade... essa é a palavra que define meu dia. Consegui mais uma vez realizar um desejo, um sonho, uma vontade. Agora já posso respirar aliviado, dizer, repetir e gritar: “Eu vou ao show da Sandy em maio!!!”.

Meu coração já consegue bater com mais calma. Aquela sensação de vazio já não tenho mais. Agora só me resta esperar e aprender a conviver com a ansiedade que me faz imaginar como vai ser este dia, que mais uma vez, vou te ver cantar.

Já tentei, mas não consegui explicações para tanto amor, e não tendo a resposta para isso, só consigo chegar à conclusão de que sou feliz por te amar tanto assim, mesmo me deixando enSANDYcido às vezes, ou melhor, quase sempre.

Seja qual for a quantidade de vezes que eu te veja cantar, a emoção sempre será grande, e você, Sandy, será a alegria que eu carrego por toda a minha vida.

Que venha 14 de maio...

Abraços!

23 de mar de 2011

E você, vai ficar aí parado?


Realizada pela primeira vez em 2007, a Hora do Planeta é um ato simbólico promovido pela rede WWF em todo mundo, onde governos, empresas e a população demonstram sua preocupação com o aquecimento global, apagando as luzes durante sessenta minutos.

Em seu primeiro ano, o ato reuniu 2,2 milhões de moradores de Sidney, na Austrália. Já em 2008, o movimento mobilizou 50 milhões de pessoas em 400 cidades de 25 países. O Brasil começou a participar do movimento somente em 2009, quando 113 cidades brasileiras aderiram à campanha, e monumentos como o Cristo Redentor e o Pão de Açúcar ficaram no escuto por uma hora completa. Em 2010 a Hora do Planeta reuniu mais de um bilhão de pessoas em 4200 cidades do mundo.

Em seu quinto ano de realização, a Hora do Planeta 2011 acontece no próximo sábado, 26, a partir das 20:30. Durante sessenta minutos apague as luzes e mostre sua preocupação com o aquecimento global. Mesmo sendo um ato simbólico, o apagar das luzes pode ser representativo de um elevar da consciência de todos para um problema que é, igualmente, de todos: as alterações climáticas.

A verdade é que este simples gesto tem despertado em todo o mundo compromissos capazes de ir marcando a diferença numa base diária contínua e tem levado a uma verdadeira mudança de hábitos de vida de cidadãos, empresas e governos que começam a despertar para compromissos válidos e práticos a favor desta luta.

Portugal se junta pelo terceiro ano consecutivo a este movimento, que este ano desafia todos a um compromisso que “Vá Além Desta Hora Na Luta Contra as Alterações Climáticas”, apelando a que, quando as luzes forem novamente acesas, reflita sobre o que pode fazer para ajudar a marcar a diferença.

Então, você se unirá a campanha e fará a diferença nesta hora? Pense, o ato pode ser pequeno, mas a consequência pode ser muito grande.

Ajude o planeta!

Abraços!

22 de mar de 2011

Ficção real?

por Marco Nascimento


Enfim, chegou o fim. Depois de oito meses no ar, a novela Tititi, um remake “moderno” - como a própria autora, Maria Adelaide Amaral, já descreveu - da obra escrita por Cassiano Gabus Mendes entre 1985 e 1986, chegou ao fim na última sexta-feira, 18.

Marcela e Edgar já deixam saudades. As noites sem as “trapalhadas” de Jaqueline Maldonado não serão mais as mesmas. E como ficar sem a disputa de Victor Valentim e Jacques Leclair?

Drama, romances e trapalhadas a parte, já notaram como novela é cada vez mais parecida com vida real? Não fica difícil nos vermos em uma cena da trama. Já podemos até dizer que a obra de ficção, como muitos descrevem uma novela, já não é mais tão fictícia assim.

Romance é algo que não pode faltar em uma bela novela. Em Tititi tiveram vários. Desde que se conheceram, Marcela e Edgar sofreram muito até enfim ficarem finalmente juntos. E não é que na vida real também é assim! Quantas vezes já choramos por um amor hein? É aquela ligação que não acontece, aquela intriga das amigas ou a “informação” que “sem querer” chega a nossos ouvidos. A distância de uma cidade a outra, o “surgimento” de uma terceira pessoa, ou até mesmo algum ato do outro, que nos faz parar e pensar se estamos no caminho certo.

E os vilões? É... na vida real também tem o time do mal. E assim como em muitas novelas, eles se dão bem no final sim. Quem nunca viu alguém que cometeu algum crime, e que no fim não pagou por ele? Estão ai vários políticos para comprovar.

Assim como Thaisa, Thales e Julinho, às vezes ficamos perdidos na vida. Sem saber qual caminho seguir. Surpresos com o que a vida nos reserva, mas o importante é não ter medo, quebrar pré-conceitos e buscar a felicidade. Afinal, a vida está sempre se reinventando, e é isso que precisamos fazer, nos reinventar.

O fim de novela também mostra a nós, telespectadores, o medo, ou melhor, a difícil aceitação que temos em encarar o novo. Depois de meses assistindo a todo o desenrolar de várias histórias, fazemos cara feia, e até criticamos a nova obra que está por começar. Não é verdade? E é assim também quando temos o primeiro dia de aula, no emprego, ou quando temos que encarar novos vizinhos, enfim, quando passamos por uma nova situação.

É... a vida é mesmo uma novela, ou será a novela que é uma vida?

Bom, respostas a parte, entre dramas e romances, vamos viver sem medo de ser feliz, antes que a novela da nossa vida acabe.

Abraços!

21 de mar de 2011

Sou feliz o tempo todo?

por Jucemara Oliver


Assim que li essa frase, não a compreendi.

Parei a leitura do livro para que pudesse encontrar nos meandros das palavras o seu significado completo.

A primeira análise retirei a mensagem imediata: sou feliz o tempo todo.

Mas a frase gerou dentro de mim uma pergunta. Sou feliz o tempo todo? E me fez ir além.

Achei que a compreensão superficial me sugeria um mergulho no significado das palavras. Me consumir, consumir meu tempo, gastá-lo, usá-lo... isso me remete a pensar como tenho gastado meu tempo.

Será que estou gastando da maneira certa, ou ainda mais, se estou usando é porque estou caminhando, não estou parado. Parado diante de dificuldades, de obstáculos. Estou caminhando, buscando aquilo que me faz feliz. Não parado diante de obstáculos, de fracassos.

Se ando é porque estou de pé. Me levantei para ir atrás daquilo que quero, daquilo que me leva à minha felicidade.

Será que estou parado, caído no chão, ou será que me levantei, olhei para o obstáculo, o analisei, estudei para saber como superá-lo?

Diante de tantas perguntas cheguei a uma conclusão, talvez ainda um pouco precipitada, mas tenho certeza de que posso não estar ainda do outro lado do obstáculo, mas o importante é que estou gastando meu tempo em reinventar um outro modo de superá-lo e seguir o meu caminho em busca da felicidade.

18 de mar de 2011

Eu digo mesmo!

por Mariana Perez


♪ ...Se eu me apaixonar
Vê se não vai debochar
Da minha confusão
Uma vez me apaixonei
E não foi o que pensei
Estou só desde então...

Se eu me entregar total
Meu medo é!
Você pensar que eu
Sou superficial...

Se eu não fizer
Amor assim sem mais
Se você brigar
E for!
Correndo atrás de alguém
Não vou suportar
A dor de ver
Que eu perdi
Mais uma vez meu amor
Uuuuh!...

Mas se eu sentir
Que nós estamos juntos
Longe ou a sós
No mundo e além
Pode crer que tudo bem
O amor só precisa de nós dois
Mais ninguém
Uuuuh!...

Se você quiser
Ser meu namoradinho
E me der o seu carinho
Sem ter fim
Prá você eu digo:
Sim!...♫

( Pra você eu digo sim- Rita Lee)


Um final de semana iluminado ♥

17 de mar de 2011

Há explicação?

por Marco Nascimento


Querida Marcela,

Não sei se você terá tempo em me responder, já que amanhã é o último capítulo de Tititi, e com isso você não dará mais expediente na Moda Brasil, mas não custar tentar.

Te escrevo hoje porque gosto, não, não gosto, é mais do que isso, eu amo, isso, eu amo uma pessoa a muito tempo. Na verdade há muitos anos. Não sei o que acontece, mas só de ouvir o nome dela eu já fico com o coração disparado, sem saber o que fazer. Quando a vejo em minha frente, na verdade só pela TV ou internet, sinto uma vontade louca de abraçá-la e dizer a ela o quanto eu a amo.

Não sei explicar como este amor nasceu, mas posso lhe afirmar com toda certeza do mundo, que foi um amor à primeira vista, ou melhor, a primeira música. Sua voz me encanta e me faz viajar em pensamentos, me traz alegria, me faz flutuar. Faz até sentir borboletas na barriga.

Defendo-a de tudo e de todos. Faço loucuras. Piro. Este amor é tão grande que não cabe mais em meu peito. Minha vontade é de gritar ao mundo, fazer loucuras de amor, caminhar em sua direção apenas para dizer Eu Amo Você.

Marcela, por favor, você que já ajudou tantos corações apaixonados, me ajude também. Faça-me entender e mais do que isso, me ensine a conviver com tanto amor. Este sentimento que transborda do meu peito, que me tira o sono e me deixa louco.

Queria saber e compreender o porquê amo tanto Sandy Leah, a minha cantora, minha musa, minha diva.

É Marcela, acho que nem você conseguirá explicar o porquê de tanto amor, mas se conseguir, por favor, o faça. Apesar de que às vezes o amor é tão bom que nem de explicação precisa, basta vivê-lo intensamente.

Por isso Sandy, digo e repito, não há sensação melhor, não há, sinto estar perdido e salvo. Amo você!

Abraços!


Obs.: Marcela é o nome da personagem de Ísis Valverde na novela Tititi da Rede Globo, que escreve na fictícia revista Moda Brasil, respondendo dilemas amorosos aos leitores e leitoras da revista.

15 de mar de 2011

Passado presente!

por Marco Nascimento

Quem vive de passado é museu, certo? Não, errado!

Nós, seres humanos também vivemos, e muito, do passado. E mesmo sem querer, ele, o passado, sempre bate a nossa porta. E não digo isso só por causa dos números de nossa idade que aumentam ano a ano, ou as marcas que o tempo deixa em nossa face, mas sim de modo geral.

Quem nunca comparou as crianças de “hoje”, com as do “passado”? Porque antigamente se brincava mais na rua, sem violência, sem preocupação. E as de hoje só querem saber de vídeo game e computador. (risos)

Mas onde o passado mais pesa é no amor. Primeiro porque queremos no presente alguém que seja igual a quem nos fez feliz no passado. Queremos os mesmos sentimentos, as mesmas atitudes, manias e defeitos. Mesmo sabendo que todos são diferentes.

E quando começamos a nos relacionar com alguém é ainda pior. Parece que viramos especialistas em investigação e descobrimos tudo o que esta pessoa já fez em seus anos anteriores. Se já namorou, quem namorou, quanto tempo ficou. Se traiu ou foi traído, enfim, queremos saber tudo que aconteceu antes, para sabermos se algo pode acontecer no futuro.

Muitas vezes deixamos que o passado interfira no presente, com medo do que possa acontecer no futuro. Mas será que isso é bom? Acho que não néh!?

Tudo bem, eu sei que é difícil, quase impossível, mas vamos pensar no hoje. Não é porque no passado algo aconteceu de uma forma, que ela sempre acontecerá do mesmo jeito.

Vamos ser feliz, tentando esquecer o passado, vivendo o presente, sem medo do futuro.

Abraços!

14 de mar de 2011

Espere por aquele,

por Jucemara Oliver


Que diga eu te amo de várias maneiras, ou melhor,

espere por aquele que coloque o eu te amo em atitudes,

espere por aquele que esteja contigo quando você quiser ir adiante e não por aquele que te diga vá enfrente,

espere por aquele que deixe os amigos pra contigo ficar,

espere por aquele que faça tudo por você,

espere por aquele que te mostre o lado bom do amor,

espere por aquele que nunca te faça chorar e se te fizer chorar que seja de emoção ou alegria,

espere por aquele que quando você menos esperar diga que te ama e que você é tudo na vida dele,

espere por aquele que te faça bem e que te faça se sentir a pessoa mais feliz do mundo.

13 de mar de 2011

Passa Rápido

por Jorge Romero


Acabou o carnaval o ano começa, pra mim particularmente já começou em janeiro, mas para maioria dos brasileiros só agora que tem um salto de produção. Considero errado, mas contra cultura não há nada que possa fazer. Fora que todos olhamos a folhinha a procura de outros feriadões, e neste eu me incluo. Mas nem adianta se animar, tem poucos em 2011. (gargalhada)

Considerando outros países, o Brasil é o país com mais feriados e por isso noto que os anos voam. Até parece o fast food que comemos no fim de semana.

A vida já passa tão rápida que se não nos mexermos não fazemos nada, tirando a cultura super importante do Rei Momo e os feriados, acho os recessos desnecessários e prejudiciais para quem precisa resolver algo em serviço público, que é o primeiro a fechar as portas.

Agora até clínica particular folga. Se ficar doente, só na segunda.

Fora o comércio que deixa de faturar milhões, e várias pessoas que ficam na mão.

Todo mundo merece descanso, mas vamos agitar.

Bom domingo e feliz 2011!!!

11 de mar de 2011

De partida...

por Mariana Perez


“Livrar-se de uma lembrança é um processo lento, impossível de programar. Ninguém consegue tirar alguém da cabeça na hora que quer, e às vezes a única solução é inverter o jogo: em vez de tentar não pensar na pessoa, esgotar a dor. Permita-se recordar, chorar, ter saudade. Um dia a ferida cicatriza e você, de tão acostumada com ela, acaba por esquecê-la.”
Martha Medeiros


Na verdade foi bem difícil ter que falar sobre esse assunto, mais difícil ainda ter que assumir pra mim mesma, que realmente isso está acontecendo e não há nada que eu possa fazer.

Exatamente quatro anos... Nem mais e nem menos! Quatro anos que o meu coração está de luto, parado no tempo, com algumas “distrações” nesse meio, mas nada que mudasse muita coisa, ou que me fizesse deixar de acreditar ou esperar durante todos esses dias que se passaram.

Não que nesse momento alguma coisa mudou ou faz sentido... Mas acredito que seja justamente em não fazer mais sentido, é que coisas mudam...

E muda por quê?

Muda porque não sou mais a menina de 20 anos que sonhava com o perfeito, ou que planejava que roupa usaria quando fosse apresentada para a outra família que acreditava no fundo que me aguardava. Mudou porque hoje eu quero MAIS, e se nem o MÉDIO eu posso ter, não quero nem imaginar com o POUCO.

A cada hora, a cada dia, percebo que o rosto já não é tão mais nítido na minha memória, o som da voz já não está mais claro em meus ouvidos, e o sentimento escapa pelas minhas mãos...

Honestamente, lutei muito pra que esse dia não chegasse, mas confesso mais honesta ainda, que tenho a impressão de poder respirar melhor, sem dor, sem peso de futuro, sem mágoas, sem planos nunca concretizados.

Tudo que foi bom será guardado... Naquela gaveta onde só eu tenho acesso.

E quando não me doer mais, e se transformar somente em uma lembrança boa, ele poderá sair de lá... E eu? Eu ficarei livre pra ser feliz novamente!


Um final de semana iluminado ♥

10 de mar de 2011

Feliz Ano Novo!

por Marco Nascimento


Calma gente, não fiquei louco, não errei a data deste post e nem o nome dele. É isso mesmo, o texto de hoje tem como título: Feliz Ano Novo!.

Não dizem que no Brasil o ano só começa depois do carnaval? Então, nada mais do que correto eu desejar a todos um feliz ano novo e renovar aqui nossos planos, objetivos e desejos para este ano que acaba de começar. (risos)

Ivete Sangalo já passou com seu trio, Sandy foi musa do camarote da Devassa e o Galo da Madrugada já cantou e levou mais de um milhão e meio de pessoas as ruas de Recife. Depois de dias de festa sua alegria acabou? Claro que não. Anime-se, se entregue a diversão. Traga cores a sua vida. Sorria sempre.

Amor de carnaval não passa da quarta-feira de cinzas? Pode até ser, mas permita-se amar quantas vezes for necessário. Diga “Eu Te Amo”, sorria, chore, sofra, mas nunca desista do amor. Aprenda com os romances que não deram certo e fortifique-se com os que deram. Se arrisque, se entregue, se apaixone. Afinal, não tem nada melhor que o amor. Néh!?

Vá para a avenida sempre em busca de uma nota 10. Faça da simpatia a sua comissão de frente e não despreze nenhuma das alas desta grande escola chamada Vida!

Seja na avenida, arquibancada, pipoca ou atrás do trio, faça de seus dias um verdadeiro carnaval e seja feliz sempre!

Abraços!

8 de mar de 2011

A você, uma rosa com amor!

por Marco Nascimento

"Eu sou aquela mulher que fez a escalada da montanha da vida, removendo pedras e plantando flores".
Cora Coralina


Hebe Camargo, Dilma Rousseff, Madre Teresa, Ruth Cardoso, Sueli Araújo, minha mãe ou minha avó. Poderia escolher qualquer uma destas mulheres e contar aqui uma bela história de vida, e assim fazer uma homenagem a todas as mulheres do mundo. Mas não, não serão estas as escolhidas.

Minha escolhida nasceu no interior da Bahia, mas ainda muito nova mudou-se para São Paulo. Aprendeu desde pequena que a vida não é fácil e teve que conviver com a dor da realidade desde novinha. Mas isso não há fez desistir de seus sonhos.

Saindo de uma cidade que tinha dois nomes, mas que nenhum constava no mapa, a pequena garota escolhia seus empregos, como doméstica, na capital paulista, de acordo com a quantidade de livros dos patrões. Para que assim, pudesse ler e aprender.

O sonho de ser jornalista e escritora a fez mudar várias vezes de emprego, sempre que terminava de ler todos os livros da casa. Conviveu com o preconceito entre pobre e rico, mas viu sua vida mudar quando se casou. A separação trouxe novamente a dura realidade da vida, mas foi com ela que a verdadeira mudança ocorreu. Ao invés de chorar, decidiu sair em busca de sua felicidade. Em busca de seus sonhos. Ergueu a cabeça, e foi ser feliz.

Aos 31 anos foi estudar e se formou em radialista e depois em jornalismo. Seu sonho estava sendo realizado. A menina sem estudos, que enfrentou uma dura caminhada pela vida, tornou-se uma mulher realizada.

Hoje, além de escrever belíssimos textos em seu blog, Elliana Garcia, ou simplesmente Lilli, trabalha como repórter no portal Arca Universal e é colaboradora de novela.

Lilli não ilustra esta página só por ter uma bela e emocionante história de vida, mas sim por ter um belo e grandioso coração. O seu desejo de realizar sonhos é transmitido a todos, com suas palavras de carinho, e demonstrações de afeto.

A doçura da menina ainda está presente na maturidade da mulher. O sorriso de criança ainda ilustra a bela face da pessoa adulta. E seu coração... ah, seu coração! Este é límpido, transparente, bondoso... quisera poder haver no mundo milhares de pessoas iguais a ela.

Agradeço a Deus por me deixar dizer que tenho esta pessoa em meu círculo de amizade. Por ter colocado você, Lilli, em minha vida, e permitir com que eu aprenda contigo. Que eu sonhe ainda mais, e caminhe em busca de realizá-los.

Neste dia 08 de março, Dia Internacional da Mulher, dedico este espaço a minha querida amiga Elliana Garcia, que com sua simplicidade conquistou meu coração, e através desta história de luta a amor, faço minha homenagem a todas as mulheres do mundo.

Feliz Dia Internacional da Mulher!

Abraços!

7 de mar de 2011

Desistir?

por Jucemara Oliver


Quem nunca pensou em fugir de seus problemas?

Mas temos que seguir as coisas feitas pelo nosso coração, fugir dos nossos problemas não ira adiantar temos que ser forte e encarar a dor e a tristeza porque a partir dessas coisas que aprendemos a viver e a dar valor ao coração.

Jamais desistir de um sonho...

Nunca esperar por alguém que faça algo por você...

A vida é sua e você que dará rumo a ela.

Seja persistente e um dia alcançará todos os seus objetivos.

4 de mar de 2011

Cuidado: Mercadoria Frágil

por Mariana Perez


Depois de alguns anos, e obviamente de alguns relacionamentos, pude constatar o quanto não nos preocupamos com nosso coração. Sim, aquele mesmo que bate desesperadamente quando vemos aquele “alguém”, ou que por alguns minutos pára quando nos deparamos com outro “alguém”. Costumo dizer que esse quando pára, faz com que o mundo pare junto, e mal podemos sentir os pés tocando o chão. Quantas reações em segundos... E quando ele está partido então? Aí que ele sofre!

E o coração se parte em muitos momentos, como quando percebemos que o que sonhamos ser um dia, com aquela determinação de quem foi criado para crer que tudo é possível, nada mais era do que uma venda que nos impedia de compreender que nem tudo é possível, por mais força de vontade que possamos empregar em tal desejo. Obviamente, há neste caso doses honestas de desejo pungente de que sejamos felizes, quase sempre oferecidas pelos que nos cuidam. Às vezes, até mesmo as boas intenções partem nossos corações.

Um coração partido perde o rumo com tanta frequência que acaba se tornando adepto da solidão como escape. E pela casa ficam espalhados os livros que desejava ler, como se fossem toques sutis de um desapego imposto; as cartas fechadas, os armários escancarados, a comida no prato, a bebida no gole, telefone fora do gancho, o desespero nas lágrimas.

O coração que se parte por amor é dos mais chorosos. Dá sempre de nos colocar nos cantos das casas em festa, no lugar do personagem traído do filme, na poesia mais profunda e melancólica impossível. Há momentos em que se sente tão animado que acredita que o pior já passou. Mas basta cruzar com quem lhe partiu o coração para que se compreenda: leva tempo para se acomodar um coração partido no peito. Tempo demais para permitir que nossa alma o receba de volta. Mas é um tempo que acontece.

Coração partido é sinal de que vivemos. E por mais que pareça o contrário, haverá o dia em que não será dolorido passar os dedos sobre as cicatrizes. Em que elas serão apenas o mapa de uma vida sendo vivida sem o medo de se entregar ao sentimento.


Um final de semana iluminado ♥

3 de mar de 2011

Agora ela é Devassa!

por Marco Nascimento

Quem diria... nem eu que sou fã incondicional de Sandy Leah, acreditei quando vi, ainda não oficialmente, que a cantora seria a nova garota propaganda da cerveja Devassa. A confusão se fez presente em minha mente e o pré-conceito me fez pensar que ela não tinha nada a ver com cerveja. Muito menos com uma de nome Devassa.

Depois de confirmado sua nova empreitada, a confusão deu espaço para a curiosidade e antes de julgar se seria legal ou não, eu precisava ver o tal comercial. E sabe, não é que eu gostei.

Sandy ficou loira, virou “devassa” e mais uma vez arrasou. Aquele pré-conceito se foi por água abaixo. Tudo bem, ainda acho que a irmã do Júnior não tem muito a ver com cerveja, até porque não imagino ela tomando um gelada (olha o pré-conceito falando novamente), mas se analisarmos a proposta da campanha, Sandy tem tudo a ver, afinal, a estratégia tem como objetivo mostrar que até as mulheres mais recatadas e tímidas possuem um lado desinibido e devasso.

E a própria Sandy admite que tenha este lado:

"Não estou nem aí para o que costumam falar de mim. Sei que ainda tenho um longo caminho pela frente para desconstruir essa imagem [de menina comportada e certinha]. A verdade é: eu tenho um lado devassa. Todos nós temos."

É galera, Sandy realmente cresceu e agora é mulher, como a própria disse, o convite é totalmente "inusitado, diferente e ousado", mas é bacana, pois vemos nesta atitude, uma forma de crescimento, de busca pelo novo. E quem sabe assim, aquela imagem de santinha finalmente fica no passado.

O fato é que devassa ou não, Sandy é uma diva, e eu amo esta mulher!

Ah, se ainda não viu o vídeo, veja abaixo:


E ai, o que achou, Sandy ficou bem de Devassa?

Abraços!

1 de mar de 2011

O calor de um coração frio!

por Marco Nascimento


Mesmo querendo e talvez demonstrando o contrário, eis que aqui dentro deste corpo bate um coração que há sentimos. Que sofre, chora e sente. Que usa da frieza para passar uma imagem forte, mas que na verdade se dilacera por dentro.

Alguém que sente por não receber um bom dia, boa tarde ou boa noite. Que fica feliz em ser surpreendido com o telefonema de quem não se imagina. Em receber uma mensagem no Twitter ou recado no Orkut.

Tenho um coração que ama. Que tem vontade de dizer a todo o momento a frase “Eu Te Amo”, mas que ao mesmo tempo não diz, por ter medo de não recebê-la de volta. Um coração que sente falta, saudades e um aperto imenso quando está só.

Tenho vontade de abraço. De beijo. De carinho.

Posso ser frio por fora, demonstrar indiferença ou despreocupação, mas por dentro, ah por dentro... um sentimento me martela, me destrói.

Sinto o calor da presença, de querer ficar ao lado de quem se gosta. Sinto o teor da preocupação. De se imaginar como a pessoa está, e se precisa de algo. Quero ser útil, confiável e amado.

Se me isolo, quero na verdade o contrário. Se choro, quero o sorriso. Se te digo não, quero dizer sim. Se fico mudo, na verdade quero dizer muitas coisas. Coisas estas que não saem, por ter medo de saber o que se passa em sua cabeça.

Vivo na adrenalina dos sentimentos, das emoções. Chorando ou sorrindo. Feliz ou triste. Vivo por mim, pensando em viver por nós.

Abraços!