12 de out de 2010

Doses homeopáticas!

por Marco Nascimento

Criado por Christian Friedrich Samuel Hahnemann, o termo Homeopatia designa uma terapia alternativa que se baseia no princípio de que "os semelhantes curam-se pelos semelhantes" - similia similibus curantur. O tratamento homeopático consiste em fornecer doses extremamente pequenas a um paciente. Desse modo, o sistema de cura natural da pessoa seria estimulado a estabelecer uma reação de restauração da saúde por suas próprias forças, de dentro para fora.

Assim como na homeopatia, muitas coisas em nossa vida são feitas em doses homeopáticas, não utilizando remédio, mas buscando um grande resultado final, porém utilizando-se de calma e sabedoria, para que a satisfação seja plena, sem causar grandes danos. Podemos citar como exemplo o início de um relacionamento.

Quando nos interessamos por alguém, logo procuramos meios de descobrir mais sobre aquela pessoa, mas ao invés de chegarmos nela e de cara soltar um: – Oi, meu nome é tal, gostei de você e quero saber mais de ti., vamos com calma e procuramos conhecer o “terreno” onde estamos pisando e chegar de formar calma e serena. Em pequenas “doses”, vamos conquistando a pessoa e descobrindo cada vez mais sobre ela. E as descobertas não param, pois só conhecemos as pessoas, convivendo com elas, ou seja, em doses.

Mas não é só em um relacionamento que isso acontece. Para acabar com um medo, se adequar a uma nova rotina, no convívio com as pessoas, enfim, a “doses homeopáticas” podem e devem muitas vezes serem usadas em diversos momentos de nossa vida.

Confesso que não tinha um bom relacionamento com animais, para falar a verdade, quase nenhum, ainda mais com gatos. Cachorros eu até gostava, mas que eu ficasse em um canto e eles em outro. A única que chegava perto de mim era a minha querida Babalu, a poodle que ganhei quando ainda criança e que vivera por muitos anos em minha casa.

“Sem sentimentos”, era esta a definição dada por uma amiga a mim. Ela dizia isso porque eu não ligava para seus gatos e nem para sua cachorra, a Teca. Sempre que ia a casa dela queria que os animais ficassem a uma distância considerável, mas eles, como eram tratados como filhos por todos da casa, sempre estavam por perto.

Depois de muito ir a sua casa e passar por um “tratamento” piscológico, comecei a me acostumar com os animais. Ela sempre me dizia: – Você precisa mudar isso. Quebrar este paradigma. Mas vamos em doses homeopáticas. Após concluir a frase, sempre me falava sobre eles, o quão bons eram e faziam o bem.

- Nossa, quanta mudança!, foi esta a reação que ela teve quando em um dia cheguei a sua casa e falei: - Oi Teca! Oi Nina!, cumprimentando assim a cachorra e a gata. As doses tinham dado resultado. Com o tempo, e muita calma, chegamos a um final feliz.

Ainda hoje não sou o melhor amigo dos animais, mas confesso que já até converso com eles. Além deste tratamento homeopático que me submeti mudando minha forma de agir com os bichos, comecei a mudar outros hábitos em minha vida também, sempre usando este mesmo tipo tratamento. Ah, não fui a médico nenhum. A mudança ocorreu graças a minha vontade, além das “aulas” de psicologia dadas por minha amiga.

Creio que uma mudança para melhor é sempre válida em nossa vida, mas sei também o quão difícil é se acostumar com o novo, com a novidade. Então, que tal fazer estas mudanças em doses homeopáticas?

Experimente. Vai ser melhor para você mesmo.

Abraço!

Um comentário:

  1. O que me deixa mais feliz, é ter conseguindo plantar a semente da mudança...

    Mil bjs ♥

    ResponderExcluir