5 de ago de 2011

Difícil não lembrar do que nunca se esqueceu...

por Mariana Perez


Sabe aquela vontade imensa de não acordar, para o sonho não terminar? Pois é... Foi assim que me senti hoje quando ouvi a p%@#=} do celular tocando, e tirando todo aquele momento de alegria pura das minhas lembranças...

Como sou ingênua em acreditar que algumas coisas foram deixadas pra trás, mesmo depois de quatro anos. Já até deixei aqui registrado várias vezes, quando tive a nítida impressão que realmente tinha acabado, que não esperava mais nada, que nem do nome eu lembrava mais.

M-E-N-T-I-R-A!!!

E mentira das mais deslavadas ainda, daquelas bem cabeludas mesmo, que nem meu consciente e muito menos meu inconsciente fazem questão de acreditar. Na verdade eles só me atrapalham, porque ficam ali, o tempo todo mostrando meus passos em círculos, quando ora, voltando pra trás.

E volta pra trás por quê? Porque a Mariana é uma burra que não tem coragem pra ir atrás (de novo!) e quem sabe colocar um ponto final (ou não!) nas coisas.

Tenho o visto mais, e isso faz com que eu não consiga mais pensar em nada diferente do que pegar o telefone e perguntar, “Viu... ééé, tá tudo bem?!”...

Quem sabe algum dia eu ligue, faça um sinal de fogo qualquer, e pergunte se ainda podemos ir à ponte ver o sol nascer...

“Eu te amei muito. Nunca disse como você também não disse, mas acho que você soube. Pena que os grandes e as cucas confusas não saibam amar. Pena também que a gente se envergonhe de dizer, a gente não devia ter vergonha do que é bonito. Penso sempre um dia que vamos nos encontrar de novo, e que então tudo vai ser mais claro, que não vai mais haver medo nem coisas falsas. Há uma porção de coisas minhas que você não sabe, e que precisaria saber para compreender todas as vezes que fugi de você e voltei e tornei a fugir. São coisas difíceis de serem contadas, mais difíceis talvez de serem compreendidas — se um dia a gente se encontrar de novo, em amor, eu direi delas, caso contrário não será preciso. Essas coisas não pedem resposta nem ressonância alguma em você: eu só queria que você soubesse do muito amor e ternura que eu tinha — e tenho — pra você.”
(Martha Medeiros)

Um final de semana iluminado ♥

3 comentários:

  1. Quem será esse sortudo hein Sta Mariana Perez?!

    Gostei do texto
    beijão pra vc!

    Murilo Rocha

    ResponderExcluir
  2. Maria Eduarda (Uol)5 de ago de 2011 12:57:00

    belíssima descrição Mariana
    Parabéns!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. nós sempre voltamos ao passado que relutamos! Não se sinta a unica, Mariana!

    lindo texto como sempre!
    Abraço!

    JOana Maranhão

    ResponderExcluir