2 de ago de 2011

Bauru

por Marco Nascimento 

Estação Ferroviária
Foi através das linhas férreas que o desenvolvimento chegou à pequena cidade no “coração” do interior paulista. A cada novo trem que chegava, novos moradores, comerciantes e visitantes se instalavam na cidade de Bauru. Tornando-se um dos principais entroncamentos ferroviários do país, logo a cidade cresceu.

Apesar de ter seu desenvolvimento e crescimento graças às ferrovias, hoje o que se vê são sucatas de vagões e máquinas. Com a malha férrea sucateada, a Estação Ferroviária de Bauru, que por muito tempo foi o principal ponto de chegada e partida da cidade, está abandonada, se degradando com o tempo. E o que se vê é só sujeira e mendigos dormindo debaixo das marquises.

Vista panorâmica de bauru

Se a ferrovia foi abandonada, por outro lado a parte aérea de Bauru ganhou força com o tempo. Atualmente com dois aeroportos, a cidade é considerada a capital do voo a vela, tendo o aeroclube da cidade o maior número e variedade de planadores do país.

E se o céu é o limite para muitos, podemos dizer que para a cidade sem limites, como é conhecida Bauru, nem o céu é o limite. Pois foi em Bauru que Marcos Pontes, o primeiro astronauta brasileiro a viajar para o espaço, nasceu.

E não é só no espaço que Bauru tem suas personalidades. Na televisão a cidade é representada pelos atores Edson Celulari e Gustavo Haddad, além da apresentadora Palmirinha Onofre e do jornalista Reali Júnior, dentre outros.
 
Estádio Alfredo de Castilho, Noroeste


Rei do futebol, Pelé não nasceu em Bauru, mas foi na cidade, jogando no BAC – Bauru Atlético Clube –, que o jogador deu seus primeiros passos no esporte. Hoje o BAC já não existe mais, mas para a alegria dos bauruenses, a cidade é sede do Noroeste, time que completou 100 anos de história em 2010.

Não tendo mais a ferrovia como forma de desenvolvimento, a cidade agora se desenvolve através do comércio, que ganha força a cada dia, atraindo vários moradores de cidades vizinhas. Além de um centro comercial, conhecido como Calçadão, Bauru conta com um Shopping Center - tendo mais dois em construção -, um grande corredor comercial na zona sul da cidade, além de uma grande e forte variedade comercial nos bairros periféricos.

Calçadão Batista de Carvalho

Outro atrativo da cidade são os pontos turísticos. Com um dos maiores e melhores zoológicos do interior paulista, uma variedade de bares, restaurantes e boates, Bauru recebe visitantes de diversas cidades do estado.

Educação e saúde também são pontos fortes na cidade. Com três universidades públicas e mais outras várias particulares, Bauru é “tomada” por estudantes durante o ano letivo. Já na saúde o destaque é para o Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais da Universidade de São Paulo. Mais conhecido como “Centrinho”, o hospital é um dos maiores centros de referência de toda a América do Sul no tratamento de anomalias craniofaciais congênitas, recebendo pacientes de toda parte do Brasil e até de outros países.
 
Sanduíche Bauru

Além ter história nos trilhos, no céu, na saúde e no comércio, Bauru também tem história na culinária brasileira. Tudo porque em uma noite de 1934, Casimiro Pinto em mais uma visita ao restaurante Ponto Chic no Largo do Paissandu, em São Paulo, procurou o cozinheiro do local e “ditou” a receita de um sanduíche a ele. Na mesma noite outros frequentadores pediram o lanche criado pelo estudante da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, dizendo que queriam um “igual ao do Bauru”, utilizando-se do apelido que o estudante ganhou na capital paulista, por ter muito orgulho de sua cidade natal.

A partir desta noite, o lanche feito com pão francês, aberto e sem miolo, uma porção de queijo derretido em banho-maria, fatias de rosbife, rodelas de tomate cru e pepino (picles), ficou conhecido como Bauru e passou a fazer parte do cardápio de muitos bares e restaurantes do Brasil e de outros países.

Assim como qualquer outra cidade, Bauru tem seus erros e acertos. Suas qualidades e defeitos. Mas não tem como não gostar dests cidade. E é com muito orgulho que eu digo, “eu sou bauruense!”.

Anfiteatro Vitória Régia
Ontem, 1º de agosto, Bauru completou 115 anos, e eu desejo que todos possam fazer desta cidade, uma cidade cada vez melhor.

Parabéns Bauru!!!!

Abraços!

Nenhum comentário:

Postar um comentário