23 de nov de 2010

Fases

por Marco Nascimento


Não sei o que está acontecendo, mas ouço minha mãe chorar e gemer de dor. Ouço também um rapaz dizendo: "é mamãe, chegou a hora!".

Mas que hora? O que vai acontecer? Tem alguém me empurrando aqui. Ei para. Estão querendo que eu vá pra onde. Ow, não quero ir. Não quero.

Buááá... buááá...

Tiraram-me de lá. Do lugar onde passei nove meses e era feliz.

Quem é você? Porque fez isso? Quero voltar. Não quero ficar aqui. Que lugar estranho. Tudo muito novo. Quem são estas pessoas?

O tempo passou e agora já cresci um pouco, mas ao invés de ficar no colo ou no carrinho, querem que eu ande sozinho. Porque tenho que fazer isso sozinho? Eu não quero. Isso é chato. Além de ter que andar sozinho, será que também tenho que pegar minha mamadeira sozinho?

Daqui uns dias vão querer que tome banho só, que coma só, que durma só... ai meu Deus, será que vou ter que ir ao banheiro sozinho também?

É, o que havia previsto se concretizou. Até minha chupeta tiraram. E o leite agora tenho que tomar no copo. Já ouvi falar que daqui uns dias terei que ir a escola. Uma coisa legal é que agora já sei falar.

Ai, este mundo é muito louco. Tudo muda derrepente. Todo dia é uma coisa nova para aprender. Queria tanto voltar para aquele lugarzinho quentinho onde passei meus primeiros nove meses de vida. Onde comecei a me desenvolver. Mas até que estou me acostumando com este mundão. To começando a gostar.

Depois de anos na escola, chegou mais uma vez a hora da mudança. Vou ter que deixar meus amigos e viver novas mudanças em minha vida. Disseram que chegou a hora de trabalhar. Então vamos à luta.

Entrega de currículo. Entrevistas. Conversa aqui, conversa ali. Consegui.

Hoje é meu primeiro dia de trabalho, mas não estou gostando muito. Olha estas pessoas. Olha que coisa chata. E esse cara falando no meu ouvido o dia inteiro. Ai ai ai... ainda bem que já se passou alguns meses. Agora sim, já me acostumei com o pessoal, com o serviço, e até estou gostando desta vida.

Muitos anos se passaram, e agora estou aqui, aposentado, em casa, sem muito que fazer. Minha vida agora é curtir a vida sem me preocupar em trabalhar e aproveitar meu tempo ao lado dos meus netos. Ah, falando neles, sempre digo a eles: "aproveite a vida e não se preocupe com as mudanças. Elas fazem parte de nossa vida. Sem elas, não aprendemos e não somos nada!".

Agora estou aqui, com meu neto em meu colo, e pensando, nossa vida muda todos os dias, toda a hora, e porque será que não nos acostumamos com isso, e o pior, porque será que muitas vezes não aceitamos as mudanças?

Que venha o amanhã...

Abraço!

Nenhum comentário:

Postar um comentário