15 de jun de 2011

Ficar feliz pelos outros é uma arte

por Fabi Prado


Hoje quero falar de felicidade, alegria, de contentamento.

Ontem soube que uma grande amiga está gravidíssima, como ela mesma disse, e eu fiquei imensamente feliz por ela.

Assim como fiquei muito feliz há um mês quando soube que outra grande amiga está grávida.

Fiquei até emocionada, pois sei o que ambas passaram pra alcançar a felicidade plena que estão vivendo hoje.

Assim como eu fiquei realizada quando soube que o meu irmão e cunhada tinham comprado outro carro, ou como me senti plena quando soube que um dos meus primos, depois de muito suor, conseguiu formar-se engenheiro civil.

E não raro eu ficar feliz quando tenho conhecimento do sucesso e da realização de algum amigo, amiga, primos, tia, vizinho, irmão, cunhadas, conhecidos. E é assim que tem que ser.

Só é verdadeiramente feliz quem consegue ser desapegado a esse ponto.

Por isso digo que ficar feliz pelos outros é uma arte e tem que ser cultivada, amadurecida, ensinada se possível. Tem que ser passada de pai pra filho a arte do desprendimento.

Quando aprendemos a ficar feliz de verdade pela alegria e sucesso alheio, aprendemos na verdade a ser feliz por nós mesmos. Uma pessoa que não deseja o bem da outra de coração, jamais será feliz, jamais se realizará em nada e jamais poderá provar o quanto é bom ser tomado de alegria por si e pelos outros.

Infelizmente tem gente que não tem esse "dom" e não pode ver o menor sinal de felicidade seja num estranho, ou seja, no próprio irmão que dá visíveis sinais de descontentamento e chateação. Isso quando não sente até uma pontinha da tão maléfica inveja que falei na semana passada...

Pergunto: Pra quê isso??? Ver os outros se dando bem e se alegrar é algo tão supremo, tão nobre, tão bom pra quem sente que chega a ser uma motivação incomparável para a busca do sucesso e para a felicidade vir ainda mais rápido.

Desejo nesta quarta-feira gelada, como todos os dias ultimamente têm sido, que a felicidade alheia nos aqueça, que nos faça realizados e nos mostre o caminho para nos sentirmos plenos, livres, felizes, como um pássaro.

Afinal, todo mundo sabe que colhe exatamente aquilo que planta...

Amigos, findo-me por aqui. Aquele abraço e até a semana que vem, se Deus quiser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário