1 de mar de 2011

O calor de um coração frio!

por Marco Nascimento


Mesmo querendo e talvez demonstrando o contrário, eis que aqui dentro deste corpo bate um coração que há sentimos. Que sofre, chora e sente. Que usa da frieza para passar uma imagem forte, mas que na verdade se dilacera por dentro.

Alguém que sente por não receber um bom dia, boa tarde ou boa noite. Que fica feliz em ser surpreendido com o telefonema de quem não se imagina. Em receber uma mensagem no Twitter ou recado no Orkut.

Tenho um coração que ama. Que tem vontade de dizer a todo o momento a frase “Eu Te Amo”, mas que ao mesmo tempo não diz, por ter medo de não recebê-la de volta. Um coração que sente falta, saudades e um aperto imenso quando está só.

Tenho vontade de abraço. De beijo. De carinho.

Posso ser frio por fora, demonstrar indiferença ou despreocupação, mas por dentro, ah por dentro... um sentimento me martela, me destrói.

Sinto o calor da presença, de querer ficar ao lado de quem se gosta. Sinto o teor da preocupação. De se imaginar como a pessoa está, e se precisa de algo. Quero ser útil, confiável e amado.

Se me isolo, quero na verdade o contrário. Se choro, quero o sorriso. Se te digo não, quero dizer sim. Se fico mudo, na verdade quero dizer muitas coisas. Coisas estas que não saem, por ter medo de saber o que se passa em sua cabeça.

Vivo na adrenalina dos sentimentos, das emoções. Chorando ou sorrindo. Feliz ou triste. Vivo por mim, pensando em viver por nós.

Abraços!

Um comentário: