11 de mar de 2011

De partida...

por Mariana Perez


“Livrar-se de uma lembrança é um processo lento, impossível de programar. Ninguém consegue tirar alguém da cabeça na hora que quer, e às vezes a única solução é inverter o jogo: em vez de tentar não pensar na pessoa, esgotar a dor. Permita-se recordar, chorar, ter saudade. Um dia a ferida cicatriza e você, de tão acostumada com ela, acaba por esquecê-la.”
Martha Medeiros


Na verdade foi bem difícil ter que falar sobre esse assunto, mais difícil ainda ter que assumir pra mim mesma, que realmente isso está acontecendo e não há nada que eu possa fazer.

Exatamente quatro anos... Nem mais e nem menos! Quatro anos que o meu coração está de luto, parado no tempo, com algumas “distrações” nesse meio, mas nada que mudasse muita coisa, ou que me fizesse deixar de acreditar ou esperar durante todos esses dias que se passaram.

Não que nesse momento alguma coisa mudou ou faz sentido... Mas acredito que seja justamente em não fazer mais sentido, é que coisas mudam...

E muda por quê?

Muda porque não sou mais a menina de 20 anos que sonhava com o perfeito, ou que planejava que roupa usaria quando fosse apresentada para a outra família que acreditava no fundo que me aguardava. Mudou porque hoje eu quero MAIS, e se nem o MÉDIO eu posso ter, não quero nem imaginar com o POUCO.

A cada hora, a cada dia, percebo que o rosto já não é tão mais nítido na minha memória, o som da voz já não está mais claro em meus ouvidos, e o sentimento escapa pelas minhas mãos...

Honestamente, lutei muito pra que esse dia não chegasse, mas confesso mais honesta ainda, que tenho a impressão de poder respirar melhor, sem dor, sem peso de futuro, sem mágoas, sem planos nunca concretizados.

Tudo que foi bom será guardado... Naquela gaveta onde só eu tenho acesso.

E quando não me doer mais, e se transformar somente em uma lembrança boa, ele poderá sair de lá... E eu? Eu ficarei livre pra ser feliz novamente!


Um final de semana iluminado ♥

3 comentários:

  1. Maria Eduarda ( Uol)11 de mar de 2011 08:31:00

    Falar sobre um sentimento que se vai...belíssimo Mariana!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. Mais difícil do que se despedir dos outros, é se despedir de "nos mesmos".

    Adorei Mariana!

    Abçs
    Ricardo Schneider

    ResponderExcluir
  3. Mariana,
    a acompanho á quase 6 meses, e o que mais me impressiona é a maneira como eleva seu grau de maturidade nas vivências, e a forma como coloca tudo isso pra fora!

    Grandes junções de idéias! Adorei

    Kadu ( Rio de Janeiro)

    ResponderExcluir