22 de mar de 2011

Ficção real?

por Marco Nascimento


Enfim, chegou o fim. Depois de oito meses no ar, a novela Tititi, um remake “moderno” - como a própria autora, Maria Adelaide Amaral, já descreveu - da obra escrita por Cassiano Gabus Mendes entre 1985 e 1986, chegou ao fim na última sexta-feira, 18.

Marcela e Edgar já deixam saudades. As noites sem as “trapalhadas” de Jaqueline Maldonado não serão mais as mesmas. E como ficar sem a disputa de Victor Valentim e Jacques Leclair?

Drama, romances e trapalhadas a parte, já notaram como novela é cada vez mais parecida com vida real? Não fica difícil nos vermos em uma cena da trama. Já podemos até dizer que a obra de ficção, como muitos descrevem uma novela, já não é mais tão fictícia assim.

Romance é algo que não pode faltar em uma bela novela. Em Tititi tiveram vários. Desde que se conheceram, Marcela e Edgar sofreram muito até enfim ficarem finalmente juntos. E não é que na vida real também é assim! Quantas vezes já choramos por um amor hein? É aquela ligação que não acontece, aquela intriga das amigas ou a “informação” que “sem querer” chega a nossos ouvidos. A distância de uma cidade a outra, o “surgimento” de uma terceira pessoa, ou até mesmo algum ato do outro, que nos faz parar e pensar se estamos no caminho certo.

E os vilões? É... na vida real também tem o time do mal. E assim como em muitas novelas, eles se dão bem no final sim. Quem nunca viu alguém que cometeu algum crime, e que no fim não pagou por ele? Estão ai vários políticos para comprovar.

Assim como Thaisa, Thales e Julinho, às vezes ficamos perdidos na vida. Sem saber qual caminho seguir. Surpresos com o que a vida nos reserva, mas o importante é não ter medo, quebrar pré-conceitos e buscar a felicidade. Afinal, a vida está sempre se reinventando, e é isso que precisamos fazer, nos reinventar.

O fim de novela também mostra a nós, telespectadores, o medo, ou melhor, a difícil aceitação que temos em encarar o novo. Depois de meses assistindo a todo o desenrolar de várias histórias, fazemos cara feia, e até criticamos a nova obra que está por começar. Não é verdade? E é assim também quando temos o primeiro dia de aula, no emprego, ou quando temos que encarar novos vizinhos, enfim, quando passamos por uma nova situação.

É... a vida é mesmo uma novela, ou será a novela que é uma vida?

Bom, respostas a parte, entre dramas e romances, vamos viver sem medo de ser feliz, antes que a novela da nossa vida acabe.

Abraços!

Nenhum comentário:

Postar um comentário