27 de abr de 2011

Ter é bom... não usar é ainda melhor!!!

por Fabri Prado


No final do mês de março fui negativamente surpreendida. Bateram atrás do meu “possante”.

Por sorte a pessoa que bateu era honesta e por falta de sorte não tinha seguro.

Incrível que nem me abateu muito a pancada no carro. Abateu-me o desenrolar dos fatos e vou explicar o porquê.

Como o terceiro não tinha seguro, para me garantir, achei melhor acionar o meu seguro. Até ai, perfeito, nada de errado nisso. Procedimento de praxe.

O revoltante é o que veio posteriormente. Antes mesmo de finalizar o processo, sou “secamente” comunicada pela seguradora que ao informar o sinistro eu já estava no ato perdendo 10% do meu bônus para próxima renovação que era de 20% até então, que a minha franquia subirá cerca de 25% para a próxima vigência e que provavelmente eu descerei uma classe.

Eu dirijo a mais de 10 anos e nunca bati o carro, nunca um arranhãozinho se quer. Quem me conhece sabe o quanto eu dirijo com cautela e respeito e ai, além de estar certa, poxa vida, bateram atrás do no meu carro que estava regularmente estacionado, ainda perco tudo isso!!! Quer dizer, me remeto a pensar: De que valeu eu ter sido tão cuidadosa todos esses anos se o dia que eu preciso do seguro pelo erro de um terceiro sou eu quem vai sair perdendo???

Quer dizer eu me sinto vitimada TRÊS vezes. A primeira pela pessoa que colidiu com o meu carro que estava estacionado corretamente. A segunda pela seguradora que brutalmente me informa que eu, mesmo não tendo que pagar nada porque quem bateu pagou a franquia, vou sair prejudicada no final das contas e a terceira novamente pela seguradora que já recebeu tanto dinheiro de mim por todos os anos que eu já sou sua segurada e não deu o menor valor porque se eu valesse alguma coisa pra seguradora, eles seriam mais justos no momento que eu precisei deles.

Quer dizer, pra que serve o seguro??? O que eu vou perder em dinheiro na renovação é quase o valor que a pessoa que bateu em mim pagou pela franquia. A essa altura concluo que eu nem devia ter acionado o seguro, essa é a verdade. O fiz por precaução caso o terceiro não me pagasse o prejuízo e acabarei saindo no prejuízo da mesma maneira.

Agora, a pergunta que não quer calar: Se não compensou eu tê-lo acionado por todos esses fatores, pra que ele serve então??? Qual a real função de pagá-lo??? Espero algum dia encontrar essa resposta.

Mas tudo o que acontece na vida de uma pessoa, seja bom ou ruim, sempre deixa algum ensinamento e é o que me consola nesse caso. O que eu aprendi com tudo isso é que ter seguro no seu automóvel é um mal necessário, sem dúvida. Eu jamais deixarei de ter, apesar de tudo.

Porém o que eu levo mesmo como a maior lição, aliás, como uma das maiores lições da minha vida é que ter é bom, mas não usar é ainda melhor.

Amarga conclusão.

Amigos, findo-me por aqui. Aquele abraço e até semana que vem, se Deus quiser.

Um comentário:

  1. Eita Fabi, que situação heim.
    será que, guardar o dinheiro do seguro em uma poupança ao invés de paga-lo não seria melhor? as vezes, eu e o maridão caimos nesta questão. rs.
    Bjus e parabéns pelo post, muito bom.

    ResponderExcluir