28 de abr de 2011

Problema igual, reações diferentes!

por Marco Nascimento


Há pouco mais de dois meses que pelo menos seis horas do meu dia é dedicado a cobrança. Sim, tenho a árdua tarefa de fazer ligações para cobrar alguém, e é depois de uma breve apresentação que tenho como resposta as mais diversas reações.

- Alô, boa tarde!
- Boa tarde!
- O senhor Antônio Dias Reis está?
- Sim, é ele.
- Senhor, meu nome é Marco, estou ligando a respeito do financiamento da Honda CG 150 Titan, que consta a parcela 19 com 22 dias de atraso.

Nesta hora um silêncio se instala. É ai que começa a me dar medo. E a fala a seguir se torna uma incógnita.

Não a grande maioria, mas muitos veem o diálogo acima como a pior coisa do universo. Alguns sem titubear desligam o telefone. Outros preferem questionar valor, horário e porque da ligação com poucos dias de atraso. Mas o que muitos gostam mesmo é de engrossar a voz, dizer que estou sendo chato, irritante e que não vão pagar “porcaria” nenhuma.

Chato eu? Imagina. Só estou tentando fazer meu trabalho, mas parece que muitos não entendem isso. Acham que estou ligando para ameaçar, xingar ou sei lá o que. E é xingar que muitos gostam de fazer, “- Vocês são umas merdas.”, “-Seu idiota, pare de me ligar.”, “- Meu, como vocês são chatos.”, “- Você não tem bom senso não? Vai encher outro.”, ou ainda “- Vai procurar o que fazer.”. É claro que depois vem um tu tu tu... desligam o telefone.

Ah, tem alguns que até para ser mal educados, querem ser educados. Com a voz alterada dizem, me interrompendo, é claro, “- Já sei tudo o que você vai falar, e eu não vou pagar. Obrigado tchau.”. Não me permitem falar mais nada, desligam.

Mas não é só de má educação que vivemos não, é claro que existem as pessoas educadas. Aquelas que conversam de forma respeitosa. Que sabem a hora de falar e ouvir. Que explicam e me deixam explicar. Pessoas que poderiam dar aulas de educação a muitos. Que dizem obrigado ao final da ligação, e alguns ainda completam com um “- Fique com Deus!”.

É engraçado com em um mesmo país, as pessoas são tão diferentes. Cada estado com sua característica, sua cultura. Seu modo de agir.

É galera, a vida de recuperador de crédito não é fácil. Neste texto usei um nome fictício, mas só o nome, porque as frases eu já escutei todas. Sim, por incrível que pareça, já ouvi todas...

Mas no fim, temos que rir tudo isso, afinal, só estou fazendo meu trabalho. Digno por sinal.

Abraços!

Um comentário:

  1. ahhhh Marco...muuuuito bom texto!!! O mais incrível disso, é que no seu antigo emprego, que vc não tinha "tanto stress" vivia cuspindo fogo...agora nesse que é uma mega pressão, vive leve como uma pluma...rssss

    parabénsssss

    Mil bjs querido ♥

    ResponderExcluir