12 de abr de 2011

Ponto negativo!

por Marco Nascimento


Já foi a época que escola era uma instituição de ensino. Que a educação aprendida em casa era complementada com os ensinamentos do professor. Que a convivência com os colegas de classe era além de tudo, uma parte divertida do dia.


O mundo mudou? Não. As pessoas mudaram. E mudaram para pior.


Lembro-me ainda com clareza da minha época de estudos. Passava todo o período da manhã na escola. Quando chegava em casa, já na hora do almoço, fazia minha refeição e descansava um pouco. Logo após tinha que fazer a tarefa deixada pelo professor. Brincar com os amigos só era possível depois de fazer o dever da escola.


Quando criança julgava esta rigidez de meus pais como errada. Agora que cresci, vejo que não.


Antes os pais acompanhavam o desempenho de seus filhos na escola. Faziam com eles as tarefas e ainda as complementavam com algumas explicações. Hoje muitos nem atenção dão a este momento importante na vida dos filhos, e jogam a responsabilidade apenas para a escola. Alguns até reclamam da quantidade exagerada de tarefas dada pelo professor.


Educação. Algo tão importante, tão necessário na vida de uma pessoa, que está sendo deixado para trás. Está sendo jogada no lixo, ou apagada como se fosse apenas simples texto no quadro negro. E não falo só da educação aprendida na escola, mas também da mais importante, a aprendida em casa.


Quanto mais abrimos os olhos, mais enxergamos como a educação está cada vez mais escassa. Hoje as pessoas pensam mais em ganhar dinheiro fácil, do que batalhar por isso. Preferem o culto ao corpo, a inteligência.


O triste fato que vimos na quinta-feira, 07, passada, no Rio de Janeiro, quando um rapaz de apenas 23 anos invadiu uma escola e matou friamente 12 crianças, demonstra mais uma vez quão cruel está ficando o ser humano.


A inocência da criança está sendo logo trocada pela individualidade do adulto. Os pequenos estão crescendo rápido demais, pulando fases, deixando sonhos e cultivando a ganância.


Quem disse que o mundo mudou?


Na verdade, nós, os únicos seres (inr)racionais, é que estamos mudados. Pensando muito qual mundo iremos deixar para nossas crianças, mas não quais crianças iremos deixar para o mundo. Afinal, a criança de hoje, é o adulto de amanhã, e o atos de agora, terão reflexo no futuro.


Abraços! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário