8 de fev de 2012

Sutil diferença

por Fabi Prado


Outro dia uma amiga me contou algo que me chamou a atenção. Ela contou que durante uma festa de aniversário uma pessoa lá do escritório onde ela trabalha teve uma postura no mínimo exagerada. Essa pessoa simplesmente parou na frente dos pratos de coxinha, esfirra, risólis e ficou ali inerte e simplesmente monopolizou a comida, devorando tudo o que via pela frente numa velocidade e voracidade típica de um grande e faminto carnívoro.

Olhando para aquela cena, ela disse que todos por lá ficaram horrorizados, tamanha postura descabida.

Analisei o que ela me disse e como não poderia deixar de ser, tirei algumas conclusões, que divido agora com vocês.

Pra mim particularmente essa atitude não é falta de educação. Falta de educação é você excerder-se num comportamento agressivo, também não é fome excessiva, uma vez que o almoço tinha sido a pouco mais de 1 hora do horário da festinha. Pra mim isso é pura e simples falta de classe.

A pessoa que não tem “berço”, jamais terá. A vida não ensina a pessoa a ter berço. A vida não ensina a pessoa a ter classe. Isso vem de família. Ou a pessoa tem classe ou não tem. Ainda não existe escola que ensine alguém a ter classe. Alguma noção de etiqueta até pode-se ensinar em um ou outro livro ou em algum site especializado, mas berço amigo, ou a pessoa tem ou não tem, essa é a minha opinião. Educação até se aprende na escola, classe não.

Conheço pessoas com a estrutura familiar completamente comprometida, e é o caso dessa pessoa em questão, mas que tem classe. Ter classe independe de ter educação ou de ter boa família. Educação é uma coisa, classe é outra, não são tão distintas, mas diferem em vários aspectos e andam juntas, se complementam. Conheço também pessoas que tem uma estrutura familiar intocável, que tem uma educação exemplar e não tem classe. São coisas independentes, mas que não devem existir sozinhas, pois algo ficará faltando se elas vigorarem sozinha, cada uma por si.

A pessoa que tem classe até para enfezar-se o faz com classe, até para ser grosseira a pessoa que tem classe sabe portar-se. Diferente de quem tem educação, mas não tem classe. Educação sem dúvida é fundamental, mas educação sem classe é vazia e não basta.

Ainda resumindo o fato, ela disse que todos ali do escritório ficaram calados, apenas observando. Resumiram-se a fazer uma ou outra brincadeirinha diante da cena pra ver se o tal percebia seu excesso, mas foi em vão.

Concluíram apenas que educação talvez não faça tanta falta, mas “berço” faz uma falta danada!

Amigos, findo-me por aqui. Aquele abraço e até a semana que vem, se Deus quiser.

Ih, Falei!

Nenhum comentário:

Postar um comentário