30 de jan de 2011

Foras e furos!

por Jorge Romero


Desde que soube, pelo dono do blog e meu amigo Marquinho, que esse texto seria o número 100, pensei em uma coisa engraçada para escrever, e nada melhor do que nossos micos de cada dia.

Pago muitos micos.

Sou mestre em foras por vários motivos, e os principais são por falar demais, quem verbaliza muito sempre fala o que não deve, e o outro por achar que tenho intimidade demais com todos.

Tem alguns que nem tenho “quase” e nem considero furo, como esquecer o nome de pessoas que você quase não vê e te perguntam “- lembra de mim?”, a única vez que me aconteceu foi na missa de sétimo dia de uma amiga que a esposa de um conhecido me perguntou e pior cheia de boas recordações, a frustrei, não lembrei e revelei a verdade, mas além da tristeza do dia, eu não conseguia reconhecer seu rosto, e olha que sou ótimo fisionomista.

Meus foras maiores são os mais engraçados, uma vez soltei “- Como sua filha é bonita.”, e para minha surpresa, recebi a resposta “- Não é minha filha. É minha esposa.”. Não sabia onde enfiar minha cara. Ou “- Quando vem o bebê?”, “- Viajei e engordei 15 quilos.” (risos sem graça).

Conheço uma criança que foi adotada por uma família, mas também conheço a mãe biológica, e não é que a mãe adotiva foi falar comigo e me enrolei completamente. Um fora difícil de contornar, mas nada que a verdade não contorne. Teimar algo e depois perceber que o que falei foi uma burrice absurda, mas aí peço desculpas, “- Me equivoquei.” (ah tá!), e sigo.

Tenho certeza que vocês também têm foras grandiosos e assim vivemos a vida.

Bom domingo!

Um comentário:

  1. Jorge, sabe que me encaixo direitinho nesse clã de rainha dos foras...uma vez fui perguntar á uma amiga do Marquinho se um cara era gay, e ela me respondeu em alto e bom som " Não, é meu namorado"...minha cara ficou de todas as cores óbviamente...rss

    Adorei o texto!!! Parabéns!!!

    Mil bjs ♥

    ResponderExcluir