28 de set de 2010

A arte de escrever!

por Marco Nascimento


Sempre achei que escrever era uma arte. Arte esta que não cabia a mim. Admirava e ficava curioso como palavras simples unidas com outras tantas palavras, também simples, pudessem tornar-se juntas um belo e emocionante texto.

Como estas pessoas conseguem usar as palavras corretas, encaixá-las perfeitamente? Como podem passar uma grande carga de emoção, transformando um simples papel em uma grande obra de literatura?

Não sabia de onde saiam às palavras, as ideias, os belos textos. Imaginava que este “poder” era um dom dado por Deus. Consentimento este, que poucas pessoas haviam adquirido, e eu não estava entre elas. Uma pena.

Com o passar do tempo criei o hábito da leitura – mas isso é tema para outro texto, aguarde! –, e com os mais variados livros pude viajar em um mundo de fantasia e realidade. A cada palavra lida, as cenas se formavam em minha mente e parecia que estava vivenciando o que estava escrito ali, ou ainda, o livro se transformara em filme, que estava sendo exibido em minha frente. Foi ai que tive a confirmação, isso é um dom dado por Deus.

Depois de ler muito – além dos livros também lia jornal e outras coisas mais na internet –, comecei a me “acostumar” com as palavras e ver as diferentes formas de escrever. Sim, eu acredito que há diferentes formas de escrever, ou melhor, de quem escreve.

Em minha opinião há aqueles que escrevem naturalmente – estes receberam uma grande quantidade de dom divino –, onde as palavras saem de forma simples e natural, se encaixando perfeitamente umas as outras. Há ainda aqueles que escrevem por amor, amor a profissão, que exige textos e mais textos. Neste caso as palavras podem não sair naturalmente, mas o amor é tanto que conseguem encaixar palavras corretas umas as outras.

Ainda há aquele “escritor” que faz por hobby, que muitas vezes as palavras não saem naturalmente, outras vezes sim, mas que no fim, depois de tanto buscar as melhores palavras, o texto fica até melhor do que imaginou e também causa um grande efeito nas pessoas e em si mesmo. Ainda há algumas pessoas que escrevem apenas para colocar no papel uma sensação ou sentimento do momento. Que não tem o hábito de escrever sempre, e em poucos momentos de inspiração saem textos ótimos.

Por fim, acredito que independe do tipo de escritor, se as palavras saem ou não naturalmente, o fato é que o texto realmente fica bom, quando sai do coração. Palavras podem ser só palavras, mas quando significam algo, que contenham sentimentos, tornam-se obras de arte.

Abraço!

Nenhum comentário:

Postar um comentário