20 de set de 2011

Amor sem Revolução!

por Marco Nascimento


Tendo a ditadura militar como plano de fundo para o amor entre a guerrilheira Maria Paixão (Graziela Schmitt) e o militar José Guerra (Claudio Lins), Amor e Revolução, novela escrita por Tiago Santiago, era a grande aposta do SBT para revolucionar a programação noturna da emissora, porém o tiro não foi certeiro e a batalha não saiu conforme esperado.

Mostrando a realidade vivida em nosso país no período da ditadura, a novela exibiu fortes e chocantes cenas de torturas, o que pode ter assustado e afastado muitos telespectadores logo em seu início. Cenas que foram diminuídas com o passar do tempo, deixando a novela com pouca revolução e muito mais amor.

Além de explorar o lado violento da época, Amor e Revolução ainda teve muitos outros assuntos como tema, alguns tanto polêmicos, tais como o amor livre entre os jovens, homossexualidade, aborto e a clandestinidade.

Se a novela não venceu a guerra contra o ibope, pelos menos venceu uma batalha contra o preconceito, pois ousou ao mostrar o primeiro beijo gay da dramaturgia brasileira. O beijo aconteceu entre duas mulheres, e foi um dos assuntos mais comentados na semana de exibição. Uma batalha foi vencida, mas a guerra não, já que um segundo beijo, desta vez entre dois homens, foi censurado.

Com uma qualidade que a muito tempo não se via no SBT, Amor e Revolução trouxe a boa teledramaturgia de volta a emissora de Silvio Santos, tendo em seu elenco nomes consagrados - como Cláudio Cavalcanti, Glauce Graieb, Jayme Periard, Lúcia Veríssimo, Gabriela Alves, dentre outros -, porém a instabilidade da emissora, e talvez podemos chamar de falta de respeito, pôde ter contribuído para o não sucesso da novela.

Exibida de segunda à sexta, Amor e Revolução já mudou de horário várias vezes e atualmente não tem um horário fixo para exibição. Indo ao ar sempre após o Programa do Ratinho, a obra de Santiago é exibida às 23:00 nas segundas-feiras, porém nas terças começa 15 minutos antes. Uma diferença ainda maior pode ser vista às quartas-feiras, quando a novela começa entre 21:45 e 22:00.

Outro fato negativo é a novela ser gravada com muita antecedência, não podendo assim ser mudada de acordo com a aceitação ou não do público. No ar até novembro ou dezembro, as gravações de Amor e Revolução foram encerradas em no mês de agosto, ou seja, do jeito que está fica. Nada pode ser mudado.

Há quem diga que Silvio Santos não goste de novela, por isso a falta de comprometimento com tal departamento, mas acredito que pelo menos o respeito com os profissionais, e principalmente com quem assiste, deveria ter.

Abraços!

Foto: Site SBT

Ih, Falei!

Nenhum comentário:

Postar um comentário